Info-Angola

Você está aqui: Início País/Províncias Benguela Economia Indústria
  • Decrease font size
  • Default font size
  • Increase font size
Indústria
Indústria PDF Versão para impressão Enviar por E-mail

SECTOR PETROLÍFERO

A estrutura industrial da província de Benguela é também a segunda mais importante, desenvolvida e diversificada de Angola, depois de Luanda. Apesar de funcionar apenas a 20% da sua capacidade de ponta, conserva ainda os vestígios da sua grandeza e imponência dos anos áureos de 1973, que se mantém nos seguintes ramos:

  • PESADA - 15 Empresas e capacidade de produção de 25 tipos de artigos ou produtos e prestação de serviços nos domínios naval, construção de máquinas, ferramentas, metalurgia e química. Apenas 7 funcionam em pleno;
  • LIGEIRA - 44 Empresas de têxteis, confecções, curtumes, calçado, tabaco, electrónica e construção dos quais 27 estão paralisadas.
  • ALIMENTAR - 31 Empresas do ramo de açúcar, pescas, massas e óleo vegetal, conservas e bebidas diversas estão registadas das quais 18 funcionam. Em 1988 apenas 11 trabalharam regularmente, com destaque para as do ramo das pescas.

Outras 500 pequenas empresas, designadamente, pastelarias, moageiras, marcenarias e carpintarias, de construção, comércio a grosso e a retalho, sapatarias, oficinas auto e recauchutagens, complementam as industrias locais empregando entre 5 a 40 pessoas cada.

Nos últimos anos, têm ocorrido vários investimentos de vulto (uns já em funcionamento outros em fase de implementação e ou de estudo de viabilidade) com a participação de capitais estrangeiros ou a formação de “joint-venture”.

A actividade económica na Província de Benguela é agora caracterizada também por dois sectores: o “ petrolífero ” e o “ não petrolífero ”. O primeiro, está ainda numa fase lactente. Contudo, é expressivo. O segundo, está colocado atrás de L


SECTOR NÃO PETROLÍFERO

Programas do Novo Milho, da Batata, do Tabaco, do Algodão, do Girassol, do Feijão, da Avicultura, da Bonivicultura, da Suinicultura, da Pesca Artesanal, Fénix; Programa de Reabilitação de Infra-estruturas Sociais financiado pelo Conselho de Ministros; Pólo de Desenvolvimento Industrial da Catumbela (PDIC, Sarl); Sistema Integrado de Transportes Lobito-Benguela (SITLOB); Reabilitação da Açucareira do Dombe Grande; Cessão de exploração da ENCIME - UEE; Valor global de investimentos Usd 200,0 milhões.

Para a implementação dos programas e projectos referenciados, tem-se priorizado a faixa costeira (200 Km), que até 2005 albergará 2 milhões de cidadãos; Essa faixa detém: Excelentes condições de trabalho, consubstanciadas no aproveitamento integral de 34 mil hectares de terras distribuídas por 100 agricultores, que empregam 40 mil trabalhadores e onde há um forte segmento associativo de 22 associações de camponeses e pescadores, comportando mais de 2,2 mil associados, beneficiando mais de 10 mil famílias.


PÓLO DE DESENVOLVIMENTO INDÚSTRIAL DA CATUMBELA, SARL

Zona de implementação: Vale da Catumbela É Numa extensão de 2.069,4 hectares em 2 fases.

Mas, estão já identificados mais 50.000 m2 de área para projectos industriais de raiz (privados); Estão em curso Estudo e Projecto para a definição das “Grandes Manchas, Estudos de Viabilidade, Projecto de Infra-estruturação”; Custos globais estimados: Usd 60,0 milhões (estudos e infra-estruturas).


REABILITAÇÃO DA AÇUCAREIRA 4 DE FEVEREIRO

Zona de implementação: Dombe Grande Projecto em tratamento na Comissão Interministerial das opções para privatização, conforme as candidaturas, o GOB é de parecer que se opte pelo sistema da privatização da parte fabril, mantendo-se a parte agrícola em regime de monocultura com assistência do comprador da produção Valor global: Usd 66,8 milhões ACÇÃO COMPLEMENTAR: Construção da barragem do Carivo, na Calahanga, para a regularização do leito do rio Coporolo e ampliação das áreas de cultivo de cana, até 10.000 ha e entre 4 a 6.000 ha, para outras culturas no Vale do Dombe Grande.


PESCAS

Apesar de Angola possuir 7 províncias no litoral, o potencial piscatório e de recursos marinhos do país está concentrado essencialmente em duas: Benguela e Namíbe.

A província de Benguela ocupa a 2ª posição no que respeita à pesca, industrialização do pescado e produção de sal.

Dados estatísticos indicam que nas águas marítimas de Benguela se realiza cerca de 45% da pesca nacional; a transformação e conservação de 90% de pescado em conserva; 10% do peixe congelado; 80% do peixe seco; 80,7% da produção de sal que conta com duas fábricas de tratamento instaladas de raiz.


PESCA INDÚSTRIAL

O seu índice de capturas actuais estabilizou-se nas 30 mil toneladas/ano e uma capacidade de congelação de 2 mil toneladas/ano. A produção de sal vai nas 28 mil toneladas, enquanto que a produção de conservas de peixe paralisou em 1998.


PESCA ARTESANAL

Ela é praticada por mais de 7.300 pescadores artesanais que vivem ao longo do litoral. Em 2001, o número de embarcações controladas rondava aos 1.500 chatas e cerca 52 traineiras.

No quadro da cooperação com Portugal, o Governo de Benguela está a implementar um projecto de fomento desta actividade com custos avaliados em 4.467.417 euros.

O projecto incide nos domínios da formação, da construção de embarcações, fornecimento de material de pesca e equipamento, conservação e comercialização, beneficiando cerca de 550 pescadores.

Face a diminuição do parque de embarcações, as capturas baixaram e rondaram no último ano em cerca de 70% dos níveis anteriores, com perspectiva de aumento uma vez que decorrem grandes investimentos do sector empresarial.

Na transformação o destaque vai para a extracção de sal marinho que atingiu as 24.710 mil toneladas, das quais 5.955,1 toneladas foram iodizadas. A produção de conservas encontra-se temporariamente paralisada. No domínio da congelação e conservação apenas se processaram 846.6 toneladas.

As espécies capturadas por cerco, armação, atuneiros, caranguejo, emalhar e linha são:

  • Sardinha;
  • Carapau;
  • Caranguejo;
  • Gambas;
  • Camarão;
  • Galucha;
  • Merma;
  • Judeu;
  • Corvina;
  • Rancador;
  • Anchova;
  • Cavala;
  • Serra;
  • Tainha;
  • Colo-colo;
  • Atum;
  • Pungo;
  • Cachucho;
  • Tubarão;
  • Pescada;
  • Espado;
  • Charro.

O peixe e produtos transformados pelo sector das pescas em Benguela são distribuídos por todas as províncias do País. Existem também algumas iniciativas privadas no sentido de se recuperar o mercado europeu e norte-americano, particularmente, no domínio das conservas.

Principais produtos do sector:

  • Peixe fresco;
  • Peixe congelado;
  • Peixe seco e meia cura;
  • Conservas;
  • Pastas;
  • Farinha e óleo;
  • Marisco;
  • Sal;
  • Embalagens metálica

EMPRESAS POR RAMO DE ACTIVIDADE

Image

Continuar...